Oct 7, 2012
7 notes
Nära Livet (Brink of Life) Ingmar Bergman, 1958

Nära Livet (Brink of Life) Ingmar Bergman, 1958

Oct 7, 2012
0 notes
Nära Livet (Brink of Life) Ingmar Bergman, 1958

Nära Livet (Brink of Life) Ingmar Bergman, 1958

Oct 7, 2012
5 notes
Persona (1966)

Persona (1966)

Oct 7, 2012
3 notes
Nära Livet (Brink of Life) Ingmar Bergman, 1958

Nära Livet (Brink of Life) Ingmar Bergman, 1958

Jul 28, 2012
399 notes
einmagischestheater:

Persona (1966)

einmagischestheater:

Persona (1966)

(Source: mitsein)

Jul 28, 2012
15 notes
mindreels:

Persona (1966, Ingmar Bergman)

mindreels:

Persona (1966, Ingmar Bergman)

Jul 28, 2012
3 notes

mindreels:

Persona (1966, Ingmar Bergman)

Jul 28, 2012
37 notes
Jul 28, 2012
8 notes
elviswolvie:

O Olho do Diabo (Djävulens Öga) - 1960. Dir: Ingmar Bergman. Elenco: Jarl Kulle, Bibi Andersson, Stig Järrel, Nils Poppe, Gertrud Fridh, Sture Lagerwall, Torsten Winge, Axel Düberg e Gunnar Björnstrand. ****
“A castidade de uma mulher é um terçol no olho do Diabo”. Com esse suposto provérbio tem início a comédia O Olho do Diabo, na qual Satã em pessoa (Järrel) acorda com um olho inchado por um terçol e seus assistentes descobrem que a causa é uma jovem filha de um pastor que está prestes a se casar virgem, o que a tornaria praticamente uma santa e poderia fazer com que muitas seguissem o exemplo. Assim, o Diabo envia Don Juan (Kulle) e seu assistente Pablo (Lagerwall) para seduzir a jovem Britt-Marie (Andersson), noiva de Jonas (Düberg). Eles assim conhecem o pai da jovem, o pastor (Poppe), e sua esposa Renata (Fridh). O Diabo ainda envia seu mais antigo e maléfico demônio (Winge) para garantir que não se desviem da missão, e tudo isso é narrado por um personagem que aparece entre os atos fazendo comentários (Björnstrand).
Bergman foi convencido pelo estúdio a fazer este filme para ter o aval de fazer A Fonte da Donzela, ambos do mesmo ano. Claro que ele deu seu toque todo pessoal à comédia, tratando do tema Don Juan (a exigência do estúdio) com muita perspicácia, envolvendo seus conceitos divertidamente distorcidos de moral, sexo e casamento. Em determinado trecho, um personagem comenta que se não fosse o casamento, não haveria Inferno. Claro que esses comentários são provavelmente inspirados na própria vida conjugal maluca do diretor.
O elenco é divertido, especialmente a sempre ótima Bibi Andersson e a agradável Gertrud Fridh. Apesar de ser uma comédia, não é um filme bobo e apresenta situações curiosas e uma temática farsesca meio shakespeariana que me parece única na filmografia do diretor. Ainda assim, não chega a ser relevante no que tange às questões filosóficas tão discutidas por Bergman.

elviswolvie:

O Olho do Diabo (Djävulens Öga) - 1960. Dir: Ingmar Bergman. Elenco: Jarl Kulle, Bibi Andersson, Stig Järrel, Nils Poppe, Gertrud Fridh, Sture Lagerwall, Torsten Winge, Axel Düberg e Gunnar Björnstrand. ****

“A castidade de uma mulher é um terçol no olho do Diabo”. Com esse suposto provérbio tem início a comédia O Olho do Diabo, na qual Satã em pessoa (Järrel) acorda com um olho inchado por um terçol e seus assistentes descobrem que a causa é uma jovem filha de um pastor que está prestes a se casar virgem, o que a tornaria praticamente uma santa e poderia fazer com que muitas seguissem o exemplo. Assim, o Diabo envia Don Juan (Kulle) e seu assistente Pablo (Lagerwall) para seduzir a jovem Britt-Marie (Andersson), noiva de Jonas (Düberg). Eles assim conhecem o pai da jovem, o pastor (Poppe), e sua esposa Renata (Fridh). O Diabo ainda envia seu mais antigo e maléfico demônio (Winge) para garantir que não se desviem da missão, e tudo isso é narrado por um personagem que aparece entre os atos fazendo comentários (Björnstrand).

Bergman foi convencido pelo estúdio a fazer este filme para ter o aval de fazer A Fonte da Donzela, ambos do mesmo ano. Claro que ele deu seu toque todo pessoal à comédia, tratando do tema Don Juan (a exigência do estúdio) com muita perspicácia, envolvendo seus conceitos divertidamente distorcidos de moral, sexo e casamento. Em determinado trecho, um personagem comenta que se não fosse o casamento, não haveria Inferno. Claro que esses comentários são provavelmente inspirados na própria vida conjugal maluca do diretor.

O elenco é divertido, especialmente a sempre ótima Bibi Andersson e a agradável Gertrud Fridh. Apesar de ser uma comédia, não é um filme bobo e apresenta situações curiosas e uma temática farsesca meio shakespeariana que me parece única na filmografia do diretor. Ainda assim, não chega a ser relevante no que tange às questões filosóficas tão discutidas por Bergman.

Jul 28, 2012
1,322 notes

sleepingwavess:

Persona ( 1966 )

My words mean nothing to you. People like you can’t be reached. I wonder whether your madness isn’t the worst kind. You act healthy, act it so well that everyone believes you… everyone except me, because I know how rotten you are. 

Navigate
« To the past Page 1 of 10
About
Berit Elisabeth Andersson. It's all about Bibi. Subscribe via RSS.